[amargoamar]

eu. subitamente convocada a destituir o lugar do chão.
derrubar estrelas, quebrar papéis.
fraca.
coração em remanso, ressaca.
insône, sem fome.
a dor do silêncio causando náusea.
hora a mais pra sentir.
hora demais pra doer desencantos.
sobrou pouco daquilo que eu me sabia.
no lugar me sobrou poesia, mas essa sendo sopro não produz vitória, é só descarga amargadoce se por ventura for lida.
eu hoje sou nada.

minha cristalina não me convence do mundo ainda existente. e a ponta dos dedos não mais alcança superfície alguma.
tiro certeiro na concentração de sonhos rosas,
sou hoje projeto em desconstrução.

lançado subitamente como estranho, os olhos pouco reconheceram do anjo agora estilhaçado.
anjo meu.
amargo. amar.

 

\\escrito em 30.nov.08

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s