[via láctea]

preso nas nuvens,
envolto na chuva,
sem pontes para fazer uma descida suave.
uma única gota sua é capaz de fazer desabar estrondos,
cobrir o céu de fuligem,
arrancar copas de árvores a princípio secas.uma linha vermelha, na altura do horizonte,
demarca o espaço mínimo pra se contar o tempo da dor;
não fala em abreviações.

conta as estrelas que tem no bolso, pequena via láctea particular.
estende as entrelinhas tecidas em formato pranto por horas a fio
– os olhos querem apenas marear

em seguida, recompõe sua paisagem interna, habitada de cor.
às vezes só ela passeia por ali.

\\escrito em 19.jan.09
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s